Verbete organizado
por:

Constância Lima Duarte e Diva Cunha



Nivaldete Pereira


Textos:


Da palavra

Toda palavra traz em si a não-palavra

O maior silêncio está por vezes

No que se diz, contido

O que se gera no vácuo

Inexoravelmente cumpre

A lei do habitar-se dele

Dizer é querer revelar o que é

E nenhum ser será

Tão perfeitamente exprimível

Que perfeitamente se diga

E quanta vez o dizer-se desdiz

No escultórico trabalho

De se plasmar a idéia

Dizer e não-dizer coexistem

 

Lamparina

Lamparina de flandre

Costurada

Na prata da solda

Dourando rostos e entisnando

A pele-cal da parede

Em que sombras dialogam

Pavio, víscera de fogo

Queimalumiando

O sonho ignorado.

Lenda do crepúsculo de Natal

Abstração de toda tarde,

Ouro rubro, sol-gema e o tule

De um leve lilás

Pois um artista

No dorso de um tanatau

Diaria mente vem pintar

O crepúsculo de Natal

E parte.

Então a noite

Descanso das cores

Apaga outra vez

Aquela arte.