Verbete organizado
por:

Constância Lima Duarte e Diva Cunha

 



Cordélia Sylvia


Vida:

Com o pseudônimo de Cordélia Sylvia, Maria das Mercês Leite tornou-se conhecida nos meios intelectuais da cidade em que nasceu, Mossoró (RN), em 11 de novembro de 1888.

Em 1901, aos treze anos, mudou-se com a família para Alagoa Grande (PB), onde continuou os estudos e aprendeu a tocar piano, tendo se destacado em geografia, história e literatura brasileira. Consta que lia freqüentemente a Divina Comédia, de Dante, e era uma admiradora de Auta de Souza, Olavo Bilac e Augusto dos Anjos, entre outros poetas nacionais.

Em Alagoa Grande manteve um colégio durante alguns anos, onde exercia o magistério. Durante muito tempo colaborou na revista literária A Estrela, de Fortaleza, dirigida por Antonieta Clotilde. Também encontram-se colaborações suas em O Malho e em Via-Láctea, de Natal, e em O Nordeste, A União e A Imprensa, da Paraíba. Em 1908, juntamente com a amiga Célida Adamantino pseudônimo de Rita de Miranda Rodrigues fundou a Revista Literária O Batel, hoje praticamente desconhecida. Aliás, "O Batel" foi também o título de uma canção que compôs e foi musicada pelo esposo.

Em 1931, Maria das Mercês Leite Cordélia Silvia faleceu em João Pessoa, onde residiu nos últimos anos de vida.