Verbete organizado
por:

Constância Lima Duarte e Diva Cunha

 



Maria Carolina Wanderley


Textos:

 

Sem título

Dizem que existem mundos encantados,

Risos, meiguices, gozos, alegrias,

Sonhos gentis que vemos realizados

No país ideal da fantasia.

Nesta ilusão feliz sendo enlevados,

À luz de uma esperança fugidia,

A ventura buscamos, enganados,

E a dor é que somente nos crucia.

Quando, porém, esse sonhar fenece,

E vemos que em nossa alma apenas cresce

A mágoa, oculta em transparente véu,

Toda ilusão da mente se desterra

E o nosso coração somente encerra

A esperança dulcíssima do Céu.

(A República, 27 / 12/ 1915)

 

Tuas cartas

Relembro as tuas cartas uma a uma,

Em minha mente todas se gravaram

Não encontro uma só que não resuma

Tudo o que nossos lábios já trocaram.

Tu me escrevias sempre; vez nenhuma

A sua falta os olhos meus choraram.

Morria o sol do estio ... vinha a bruma,

E as tuas cartas nunca me faltaram.

Hoje os dias se passam lentamente

Que me escrevas espero ansiosamente,

Mas com que mágoa vejo que emudeces...

Termina esse silêncio que crucia,

É que me vai trazendo dia a dia

A certeza cruel de que me esqueces!

(A República, 16/ 02/ 1917)