Verbete organizado
por:

Constância Lima Duarte e Diva Cunha

 



Angelina Macedo


Textos:

Sonhei

Sonhei que era feliz e era amada

Que ao lado dos meus pais, tranqüilamente,

Passava a minha vida sorridente,

Sem nunca pela dor ser perturbada.

Nessa doce ilusão sendo embalada,

Áureos castelos levantei na mente.

E por linda visão aurifulgente,

Era ao céu da Ventura arrebatada.

Porém ao despertar do grato sonho,

Ao ver o meu presente tão tristonho,

Tão negro como fora o meu passado,

Quisera viver sempre adormecida

Deste mundo e de todos esquecida

Ou ao menos, meu Deus, não ter sonhado.

(Assu, 1903)

 

A Crença

Dizem os sábios da moderna era

Ser nossa crença louca fantasia

Porém não sabem quanta delícia

Nos farta e consola a vã quimera.

Eles, coitados! vão sentindo na alma

A dor profunda, a dor que os vai minando

Que à vil matéria vão tornar; pensando,

Vê-se dos rostos lhes fugiu a calma.

E nós, as crentes, para tudo olhamos!

Não tememos a morte, até zombamos

Desta ciência que eles chamam - Luz!

Oh! sublime ilusão sede bendita

Oh! meu Deus permite que eu tenha a dita

De morrer abraçada a vossa cruz!

(Assu, 02/08/1902)